h1

Na sua mão esquerda (para Fernanda Young)

26 de maio de 2016

Queria que você me visse aqui

folheando suas palavras

quase como se escutasse sua voz

enquanto meus olhos passam

como agulha em uma vitrola, percorrendo em voltas os sulcos –

buracos de onde saem os sons –

os sons só podem sair de buracos

é o que tem lá dentro que toca, acaricia

as profundezas criam as melhores músicas

 

Mas eu queria que você visse a mim

afundando em meus travesseiros

tão macios

que confortam a solidão, o vazio

olhos agora marejados

poque você descobriu o meu segredo

o que eu sentia

e me revelou, acusando-me não ser único

e é um ultraje perceber-se mais um

 

Aqui estão as dores,

as vergonhas,

as vestes,

e até a matemática

tudo aquilo que uso para aguentar mais um dia

em meio às asperezas das multidões

onde me disfarço em homem

mas por dentro sangro

 

um dia me perdi no bosque

e encontrei um lago

ao fitar-me sob as águas

não fui Narciso

mas fui Orlando

reconhecendo-me naquela que não era eu

e que foi mais do que jamais poderia ser

 

e é porque me reconheço naquela que não sou eu

que choro ao ler estas palavras

mas também me salvo

de mim

e de não me ser

 

Raphael Granucci Pequeno, 28 de abril de 2016

 

13221538_1334165356593944_637323828903157570_n

Fernanda Young e eu no lançamento de “A mão esquerda de Vênus” em São Paulo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: