h1

Veneno pensante

15 de maio de 2013

Quero não querer,

penso como seria não pensar

em tudo que quero, faço, digo,

cada ação é um tijolo em seu lugar.

 

Construo uma vida,

uma jornada calculada.

Pensamentos me emudecem,

queria não pensar em nada.

 

Viver plenamente,

como um objeto de madeira.

Ter peso, massa e volume,

e a paz sem pensamentos de uma cadeira.

 

Penso se os outros pensam

como eu em tantos momentos.

Penso, que logo vejo

que estou pensando até em sentimentos.

 

E será que sentem a vida como eu?

Será possível viverem todos assim?

Cada passo que eu dou

penso se me levará a algum fim.

 

Penso com que pé pisar,

penso por qual degrau começar.

Já nem preciso falar que penso

no que dizer na hora de me expressar.

 

E tanto pensamento leva a crer,

que tudo pode ser falso.

Se tanto penso no que faço,

me espanto em passar por tanto percalço.

 

Até na morte, fim do pensamento,

tanto penso, sinto e racionalizo.

Mas cada espinho do meu pensamento

escondo com meu melhor sorriso.

 

Raphael Granucci Pequeno

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: