h1

Engano

14 de julho de 2012

Depois de uma longa jornada

buscando saber o que daria,

chegamos ao fim desta estrada.

Peço minha carta de alforria.

 

Talvez tenha confundido amor

com uma carência não suprida.

Peço que faça o grande favor

de não prolongar esta despedida.

 

Você fez o elogio que tocou

minha alma e meu peito.

O que ninguém via, você notou,

e eu fui ficando sem jeito.

 

Abaixei a guarda para você

(Será que um dia me protegi?)

Conquistou-me com seus clichês,

se demorei pra me entregar, eu fingi.

 

Eu estava completamente apaixonado

por tudo que você me mostrou ser.

Fiquei envolvido e hoje abandonado,

mas aprendi que posso sobreviver.

 

Um amor não pode ser vivido a um,

e você insiste em se dividir em tantos.

Sinto informar, isso não leva a lugar algum.

Mas você não será a razão do meu pranto.

 

Ficarei bem, a vida é mesmo assim,

cheia de passos em falsos e enganos.

O que começa é fadado a ter um fim,

isso acontece com tudo que é humano.

 

Raphael Granucci Pequeno

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: