h1

Amizade para a vida (?)

31 de janeiro de 2011

“Com os anos, tudo se torna mais difícil. Novos compromissos, outros conhecidos, ritmos diferentes. E, às vezes, a pessoa tem a impressão de que se perdeu, de que não deu a devida importância aos relacionamentos. As mensagens já não chegam no mesmo ritmo de antes, as saídas noturnas se reduzem, as promessas de tornar a se ver são adiadas por uma razão ou outra. A época do colégio, quando podiam passar juntas tardes  intermináveis, parece ter se perdido na noite dos tempos. Como uma segunda família. É preciso acreditar, impregnar-se disso. Defender as relações. Renovar. Tentar atravessar o tempo sem se perder. Mas, bem, a verdade é que ainda estamos aqui. As Ondas, dispostas a largar tudo para nos vermos por algumas horas. Que maravilha. Tenho muita vontade de passear, de rir mais, de tomar um belo sorvete do Alaska com elas.” Sim. Niki esboça um sorriso. É verdade. – Desculpa, quero me casar contigo (Federico Moccia)

 

"Amigo estou aqui..."

 

 “Não caminhe na minha frente; eu não posso seguí-lo. Não caminhe atrás de mim; eu não posso conduzí-lo. Apenas caminhe a meu lado e seja meu amigo.” (Albert Camus)

É absolutamente normal e necessário construir amizades no ambiente escolar. Esse vínculo é feito por afinidades ou convivência, e em boa parte dos casos, se baseia na confiança. São para os nossos “amigos de escola” que muitas vezes contamos segredos, novidades e histórias antes mesmo de revelarmos aos nossos pais ou familiares.

Esse tipo de relação facilita até mesmo o nosso aprendizado, já que serve como estímulo para frequentarmos as aulas, e como “válvula de escape”, para desabafarmos sobre nossos problemas.

Logo, representando tudo isso em nossa trajetória, é comum pensarmos que essas amizades serão levadas e cultivadas por toda a nossa vida. Há uma frase que diz que um amigo é alguém que sabe a canção de seu coração e pode cantá-la quando você tiver esquecido a letra. Afinal, ele te conhece como ninguém.

Porém, mesmo quando levadas até o ensino médio, manter-se unidos é um trabalho árduo.

Cada um escolhe uma carreira, incluindo a possibilidade até mesmo de mudar de cidade, estado ou país. Ou até, por mais fútil que pareça, relações amorosas podem atrapalhar a convivência de pessoas que antes mantinham uma amizade tão “fiel”.

Toy Story 3: Filme aborda as mudanças da vida e o que acaba sendo deixado para trás.

O fim do ensino médio não é o fim dos problemas. As pessoas também podem criar (ou acham que criaram) vínculos muito fortes no seu curso superior, e depois de um tempo ver que não é o que elas imaginaram.

O pior é a decepção ao se pensar em tudo que foi dito e feito ao lado daquela pessoa, e hoje ela estar tão ausente. Antes, você não se imaginava passando por um problema sem o carinho ou o abraço daquela pessoa, ali ao seu lado para lhe confortar, e agora você olha para o lado e ela não está mais ali.

Passando por isso, alguns se conformam que “a vida é assim”, e deixam de dar valor para a amizade. Outros, por sua vez, correm atrás, na esperança de que o “amigo” se lembre de tudo que vivenciaram, e veja que eles podem continuar vivendo muitas coisas um ao lado do outro ainda.

Hoje, eu passo por isso. Estou saindo do ensino médio, meus melhores amigos (na maior parte, amigas) foram para a faculdade ou mudarem de cidade ou ambos, e fico muito triste por constatar esse acontecimento também em minha vida.

Foi para essas pessoas que eu contei meus maiores e vergonhosos segredos. Foi com essas pessoas que eu vivi grandes “aventuras” e revolucionei minha vida. Como aguentar calado essas pessoas indo embora da minha vida?

Cada indivíduo possui seu livre-arbítrio, para que possa tomar as decisões que bem entender, mas não permitirei que meus amigos tomem essa decisão sem ter a certeza de que eles viram os caminhos possíveis.

Não ordenarei a ninguém que me coloque em uma mala, e me arraste por aí. Mas posso pedir para que volte, e me encontre aqui na hora que eu ou ele precisar.

Talvez este seja o caminho para se manter uma amizade não baseada na convivência diária. Afinal, diferente de um relacionamento amoroso, você poderá ter outros amigos para dividir suas horas, conversas, passeios. Um amigo tem liberdade de ir e vir, mas confesso que a amizade só vive se ele continuar vindo.

Não podemos misturar amizade e namoro. Fecharmo-nos para o namoro por causa de uma amizade, ou muito menos fecharmo-nos para as amizades por causa de um namoro. São fatores independentes, mas que juntos devem fazer o equilíbrio social do ser humano.

Voltaire disse “todas as riquezas do mundo não valem um amigo”.

Enfim, a amizade e os frutos que ela traz para a vida de todas as pessoas é assunto para um livro, mas faço esse desabafo porque sei que todo mundo passou ou passará por isso, e sei que uma dica eu posso dar: Falar sobre o que você sente. Se a pessoa se afastar, talvez a amizade tenha chegado ao fim, mas valeu por tudo que passaram juntos. Mas se a pessoa ficar, você realmente tem um tesouro em suas mãos.

As pessoas que eu chamo de amigo, e espero que o tempo não separe.

One comment

  1. “Just call my name and I’ll be there”



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: